quarta-feira, 8 de junho de 2011

Pe. José Koopmans

"Há homens que lutam um dia e são bons;
Há outros que lutam varios dias e são melhores;
Há aqueles que lutam varios anos e são excelentes;
Mas existem aqueles que lutam a vida inteira: esses são imprescindiveis"
Bertold Brecht


Holândes, se tornou baiano e em sua luta denunciou a invasão da monocultura do eucalipto. Querido nas periferias, na alta sociedade, na roça, querido pelos índios e pelos sem terra. Se foi e deixou sementes em vários corações, que com certeza vão tocar sua luta. Se foi de repente, mas sem dúvidas, cumpriu sua missão! 


“(…) Vai companheiro, vai fundir-se com a mãe terra, já que a vida inteira tomou-a em defesa, sem jamais transigir. Agora, Tu e Ela, uma só matéria. Vai companheiro, aninhar-se nos braços da Lua, pois tua luta nunca será olvidada, teu grito profético contra a destruição e mercantilização da natureza, tua fúria lúcida contra a corrupção de políticos vigaristas de todos os matizes, corrupção que mata e subtrai a vida de milhares de pessoas, teu profundo senso de justiça, tantas vezes motivo de perseguição pela Igreja Vaticana a que pertences, que, com suas estruturas conservadoras e truculentas, o cerceava; mas não é o evangelho que diz ‘Felizes os que tem fome e sede de justiça’(…)”? (Aliomar Rabelo Cesar)



segunda-feira, 6 de junho de 2011



(...) Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao
conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e
dos justos que os precederam: "Não roubarás", "Devolva
o lápis do coleguinha",
" Esse apontador não é seu, minha filhinha".
Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido
que escutar.
Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca
tinha visto falar e sobre a qual minha pobre lógica
ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao
culpado interessará.


Elisa Lucinda - Só de sacanagem